Sobre
Sobre
Como funciona
Como funciona o Quero Bolsa?
Ligue grátis
0800
0800 941 3000
Seg - Sex 8h-22h
Sábado 9h-13h
Aceitamos ligação de celular
banner image banner image
Vestibular e Enem

Atualidades Enem: 60 anos da construção de Brasília

por Giovana Murça em 20/04/20

Há 60 anos, no dia 21 de abril de 1960, era inaugurada oficialmente a nova capital do Brasil: Brasília. A história da cidade não começou com povoamento e processo de urbanização comum. Brasília foi uma cidade planejada e construída especificamente para ser a sede do governo central. 

construção de brasilia
Construção da Esplanada dos Ministérios. (Foto: Arquivo Público do DF)

A construção de Brasília fez parte da propaganda nacional e desenvolvimentista de Juscelino Kubitschek (JK). As obras foram concluídas às pressas e tiveram altíssimo custo financeiro e humano. 

Por que uma nova capital?

Desde 1763, a então capital do Brasil era a cidade do Rio de Janeiro. A mudança já estava prevista na primeira constituição republicana de 1891:

“Fica pertencendo à União, no planalto central da República, uma zona de 14.400 quilômetros quadrados, que será oportunamente demarcada para nela estabeIecer-se a futura Capital federal”. 

O reconhecimento e demarcação da região foi feita em 1892, no governo de Floriano Peixoto, com a criação da Comissão Exploradora do Planalto Central do Brasil - também chamada de Missão Cruls. A expedição foi chefiada pelo belga Luís Cruls, diretor do Observatório Astronômico do Rio de Janeiro.

construção de brasília
Cruls e os membros da Comissão Exploradora do Planalto Central (Henrique Morize/Wikimedia Commons)

Mas, por que o governo escolheu um lugar desconhecido, tão distante e, praticamente, deserto? Por questões estratégicas e geopolíticas. O principal motivo era a estratégia militar de afastar a capital do Brasil da região litorânea, onde ficava vulnerável a ataques estrangeiros, em caso de guerra. 

A interiorização da sede da capital também iria promover a ocupação e desenvolvimento do interior e a interligação dos centros econômicos do país, por meio das rodovias federais. Além disso, muitos especialistas também acreditam que ao distanciar a sede do país do centro urbano, a pressão popular contra o governo seria menor.

O contexto da construção

A projeto da construção de Brasília só saiu do papel em 1956, durante o governo de Juscelino Kubitschek (JK). A mudança da capital foi uma das promessas de campanha de JK. Ela fazia parte do Plano de Metas, uma política nacional e desenvolvimentista, que possuía o slogan “50 anos em 5”. 

construção de brasilia
Juscelino Kubitschek em frente ao Palácio da Alvorada (Arquivo Nacional)

Nesse período, chamado de “anos dourados”, surgiu o estilo musical Bossa Nova. “Havia uma atmosfera de otimismo e valorização de tudo aquilo que representava o novo e moderno, o próprio presidente fora apelidado de 'Presidente Bossa Nova' dado o seu espírito jovem e empreendedor”, explica Pamela Pereira, professora de História do Cursinho Apoio Reforço Escolar.

A ideia era de JK era ampliar economicamente o país a ponto de parecer que 50 anos de desenvolvimento se passaram em apenas 5 anos, desenvolvendo as áreas de transporte, educação, alimentação, energia e indústria.

construção de brasilia
Juscelino Kubitschek inaugura fábrica da Mercedes Benz (Arquivo Nacional/Agência Nacional)

A construção e transferência da capital foi muito criticada pela mídia e pela oposição de JK. Eles acreditavam que a ideia era utópica e que o governo não tinha recurso financeiro para isso, o que geraria um endividamento externo, além de temerem o abandono da cidade do Rio de Janeiro.

Início da construção de Brasília

Para dar início ao projeto de Brasília, JK criou a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), que tinha como seu diretor do Departamento de Urbanismo e Arquitetura Oscar Niemeyer - arquiteto reconhecido internacionalmente. 

A Novacap realizou um concurso público entre arquitetos brasileiros para a escolha do projeto arquitetônico da capital. Em 1957, o plano piloto que mais agradou os jurados foi o do arquiteto carioca Lúcio Costa.

construção de brasília
Esboço do plano piloto de Lúcio Costa (Wikimedia Commons)

O plano piloto de Lúcio Costa lembra o formato de um avião e muitos acreditam que o desenho significa “voar em direção ao progresso”. Mas, o relatório original confirma que Lúcio Costa fez a cidade em formato de cruz. A proposta era formar dois eixos de deslocamento, o eixo principal na vertical e o eixo horizontal, com a “Asa Sul” e a “Asa Norte”.

Os edifícios foram projetados por Niemeyer, que se inspirou na estética modernista da época. Na arquitetura modernista, a cidade tem quatro funções humanas básicas: habitar, trabalhar, cultivar corpo e espírito e circular. 

construção de brasília
Oscar Niemeyer, Israel Pinheiro, Lúcio Costa e Juscelino Kubitschek analisando o projeto de Brasília (Estado de Minas Gerais)

O resultado um projeto de uma cidade bem organizada, com grandes áreas verdes e com edifícios esculturais afastados um dos outros. Pelo contexto desenvolvimentista, o projeto também priorizou a locomoção de automóveis pela cidade. 

construção de brasília
Panorama do Eixo Monumental no plano piloto (Webysther/Wikimedia Commons)

“Brasília é uma capital moderna, pensada para refletir as tecnologias e o progresso industrial do tempo em que foi projetada”, pontua Rolando Vezzoni, criador do canal ReVisão, que produziu um vídeo sobre a construção da capital.

A obra aconteceu em um ritmo frenético, o prazo de entrega era de quatro anos. Além da construção da cidade em si, era necessário abrir rodovias e ferrovias para o deslocamento de pessoas e obra-prima. 

Quem construiu Brasília?

Rapidamente, o planalto central recebeu multidões de trabalhadores vindos de todo o país, principalmente do Nordeste. Os trabalhadores de Brasília foram chamados de fandangos. O termo era usado pelo Euclides da Cunha para descrever a aparência de sertanejos tristes e cansados. 

construção de brasilia
Caminhão de operários passa próximo ao futuro prédio do Congresso Nacional, em 1959. (Mário Fontenelle/Arquivo Público do DF)

Eles viajavam mais de 40 dias na carroceria de caminhões, muitas vezes só com a roupa do corpo. Castigados pela seca e miséria, os fandangos eram atraídos pela oferta de novas oportunidades e de uma nova vida na futura capital.

Mas, a realidade durante as obras foi outra. Os fandangos trabalhavam e moravam em péssimas condições. Os acidentes e mortes pelo trabalho sem segurança e pelas condições precárias eram comuns.

construção de brasilia
O Palácio da Alvorada durante a sua construção (Arquivo Público/Agência Brasil)

Para apressar as obras, muitos trabalhadores eram obrigados a trabalhar dia e noite. Os salários eram baixos e, muitas vezes, pagos irregularmente. Além disso, os fandangos sofriam com a repressão, abuso e violência da polícia.

Inauguração da nova capital

Em 1960, a cidade de Brasília foi inaugurada com uma grande festa, mesmo com as obras inacabadas. A transferência das sedes do governo e a construção só terminaram de vez na década de 1970.

construção de brasilia
Inauguração de Brasília, 20 de abril de 1960 (Arquivo Nacional)

A inauguração aconteceu no dia de Tiradentes. De acordo com os registros, a escolha da data foi uma homenagem ao episódio da Inconfidência Mineira, em 1785, onde já era citada a necessidade de interiorização da capital do Brasil. 

Consequências da construção 

A construção da nova capital representou um rombo nos cofres públicos, até hoje não se sabe ao certo quantos milhões foram gastos; os valores estimados variam de 40 a 80 bilhões de dólares. 

Houve falta de planejamento financeiro, recursos mal administrados, gastos desenfreados e verba desviada. Como consequência, nos anos seguintes, a inflação disparou, a população empobreceu e a desigualdade social cresceu.

construção de brasilia
Casas do Núcleo Bandeirante, em setembro de 1958. (Arquivo Público do DF)

Outra consequência foi a desigualdade regional. A cidade de Brasília foi planejada para suportar até 500 mil habitantes. A ideia era que os fandangos fossem embora após o fim das obras, o que não aconteceu. Os acampamentos precários e irregulares dos trabalhadores em torno da capital deram origem às chamadas cidades satélites. 

Em oposição às consequências negativas da construção de Brasília, “havia sua representação como símbolo da modernização e industrialização do país após anos de atraso econômico e de uma economia majoritariamente agroexportadora”, completa Pamela. 

Pode cair no enem?

O professor Pedro Rennó, professor de História e Filosofia do canal do Youtube Parabólica, comenta que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não costuma cobras temas por datas de aniversário. “Se a construção de Brasília for cobrada, é mais pela sua importância na História do Brasil”, pontua.

Para a professora Pamela, o tema pode cair sim, pois a prova tem dado ênfase à temas ligados a História do Brasil. Além disso, a construção de Brasília permite a interdisciplinaridade com temas da Geografia, como demografia, cidadania, trabalho, democracia e economia

Caso esteja presente no Enem, os professores acreditam que os temas cobrados podem ser os motivos da construção, o contexto histórico, as consequências, a integração territorial, o isolamento do centro de decisão política do país e a implementação dos sistema rodoviário de transportes.

O professor Pedro ainda destaca o êxodo rural, que movimentou trabalhadores de regiões mais pobres para centros urbanos em desenvolvimento, e a atuação dos candangos.

Leia também: Atualidades Enem: Privatização
Atualidades Enem: Liberdade de expressão
banner image banner image

O que você achou deste artigo?

ALERTA DE VAGAS i-close
Tá na dúvida? Preencha suas preferências que a gente te ajuda a achar sua vaga ideal.
ALERTA DE VAGAS i-close
Descubra qual profissão mais se encaixa com você.

Não fique na dúvida sobre o seu futuro. Faça o Teste Vocacional do Quero Bolsa.

ALERTA DE VAGAS i-close
Nós podemos te ajudar Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

Aqui no Quero Bolsa você compare vagas com bolsa em mais de 1.000 faculdades

Preencha os campos abaixo para receber avisos de vagas disponíveis em nosso site de acordo com seus interesses.

ALERTA DE VAGAS i-close
Deixe seus contatos Mailbox 3aaacb172f1a1e1ba19b2e93f60f637592c84194967e63e952c08d3cb04fa7a8
ALERTA DE VAGAS i-close
Falta só mais um passo! Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

As nossas melhores vagas chegam de surpresa. Por isso fique ligado.

Com a sua confirmação enviaremos ofertas exclusivas diretamente no seu Whatsapp. Rápido, fácil, prático e na tela do seu celular.

CENTRAL DE AJUDA i-close
Como podemos te ajudar?

Gostaria de saber como o Quero Bolsa funciona e se o site é confiável.

Veja as perguntas frequentes

Quero receber vagas de acordo com meus interesses diretamente em meu e-mail e WhatsApp.

Tá na dúvida? Preencha suas preferências que a gente te ajuda a achar sua vaga ideal.
i-close

Se por algum motivo você não utilizar a nossa bolsa de estudos, devolveremos o valor pago ao Quero Bolsa.

Você pode trocar por outro curso ou pedir reembolso em até 30 dias após pagar a pré-matrícula. Se você garantiu sua bolsa antes das matrículas começarem, o prazo é de 30 dias após o início das matrículas na faculdade.

Fique tranquilo: no Quero Bolsa, nós colocamos sua satisfação em primeiro lugar e vamos honrar nosso compromisso.

O Quero Bolsa foi eleito pela Revista Época como a melhor empresa brasileira para o consumidor na categoria Educação - Escolas e Cursos.

O reconhecimento do nosso trabalho através do prêmio Época ReclameAQUI é um reflexo do compromisso que temos em ajudar cada vez mais alunos a ingressar na faculdade.

Feito com pela Quero Educação

Quero Educação © 2011 - 2020 CNPJ: 10.542.212/0001-54