logo
Lista de faculdades Lista de cursos Lista de profissões Revista Quero Central de ajuda

banner image banner image
Vestibular e Enem

11 tipos de argumentos e estratégias argumentativas para utilizar na redação

por Isabela Giordan em 24/03/21

Se você está estudando para o Enem ou outros vestibulares, um assunto muito comum na sua rotina de preparação é a redação dissertativa-argumentativa, não é mesmo? 

Encontre bolsas de estudo de até 80% para graduação

Afinal, esse gênero textual é cobrado pela maioria dos grandes vestibulares e exames. E, como diz o seu próprio nome, esse tipo de texto espera que o estudante defenda um ponto de vista sobre um determinado tema apresentado pela banca corretora a partir de argumentos. Por isso, para garantir uma boa avaliação, é essencial saber desenvolver justificativas críveis e bem estruturadas que cumpram o seu papel na redação.

tipos de argumentos na redação 

 Leia mais:
13 citações sobre meio ambiente para usar na redação
10 citações sobre violência para usar na redação

Como escolher qual tipo de argumento utilizar?

Para Fabiana Gomes de Camargo, professora de redação e coordenadora da área de linguagens do Colégio Oficina do Estudante, antes de escolher o tipo de argumento, o mais importante é que o estudante entenda que o seu objetivo é convencer o leitor sobre a sua opinião.  

"É possível utilizar argumentos de diferentes naturezas para fundamentar o ponto de vista escolhido pelo produtor do texto. Não há um tipo específico que possa ser aceito como regra; o melhor tipo de argumento é aquele que fundamenta bem a tese proposta", explica.

Porém, a professora indica quatro tipos mais universais e que são comumente aceitos em provas como vestibular, são eles:

  1. Argumento de valor universal:  é a expressão de um raciocínio lógico por meio da relação entre dados conhecidos, e, dessa forma, torna-se possível chegar a uma conclusão.
  2. Dados colhidos da realidade: para confirmar o ponto de vista do autor, são apresentadas informações de conhecimento geral, que fazem parte do repertório sociocultural que autor e leitor compartilham. Nesse tipo, incluem-se as ilustrações, os exemplos, os resultados de pesquisas e o conhecimento de diversas áreas de estudo.
  3. Referências e citações: utilizando as relações intertextuais, apresenta-se o discurso produzido por outras pessoas que corroboram o ponto de vista defendido pelo autor. Aqui, incluem-se os argumentos de autoridade, os depoimentos e menções a personagens e obras da literatura em geral.
  4. Contra-argumentação: o autor visa apresentar argumentos contrários ao ponto de vista defendido, a fim de refutá-los e mostrar que estes não são válidos ou têm validade limitada.

Quantos tipos de argumentos devo utilizar na redação?

A indicação da professora de redação é que o estudante utilize, no mínimo, dois tipos de argumentos diferentes, sendo que o ideal é apostar três estilos. 

"Mas é possível extrapolar esse número, desde que a argumentação seja coerente com a tese inicial. Quando se pensa em uma redação de vestibular, por exemplo, o ideal é que sejam desenvolvidos até três argumentos, pois há um limite pré-determinado de linhas", recomenda.

7 estratégias argumentativas para a sua redação 

Mais importante do que ter argumentos pertinentes para defender o seu ponto de vista, é saber desenvolvê-los corretamente. "Isso se faz através de estratégias argumentativas que o autor se vale para desenvolver cada um deles. A estratégia adequada é aquela que melhor sustenta o ponto de vista defendido", explica Fabiana. 

Veja abaixo as 7 estratégias apontadas pela professora de redação:

  1. Enumeração: apresentação sucessiva de várias informações ou elementos necessários à compreensão do texto ou ao argumento desenvolvido.
  2. Exemplificação: consiste na apresentação de exemplos, retirados da própria realidade ou que advindos de diferentes áreas do conhecimento.
  3. Definição: visa definir o assunto do texto ou conceitos que sejam essenciais a sua compreensão.
  4. Argumento de autoridade: baseia-se na reprodução de ideias ou informações apreendidas a partir de estudo de textos de outros autores.
  5. Relação de causa e consequência: funciona como justificativa para afirmações feitas ao longo do texto, evidenciando as relações existentes entre um fenômeno e fatos/teorias.
  6. Comparação: consiste na relação de aproximação entre fenômenos, fatos ou ideais, buscando estabelecer entre eles uma relação de semelhança ou de distinção.
  7. Pergunta retórica: questionamento dirigido ao leitor, a fim de direcionar a argumentação à resposta pretendida pelo autor.
Veja também:
+ Como desenvolver uma analogia na redação?
3 técnicas para garantir uma redação nota mil no Enem

Qual é o maior erro cometido no desenvolvimento de um argumento?

A argumentação é uma parte muito importante da redação, afinal, será a partir dela que a banca corretora poderá avaliar quais foram os fatores que levaram à construção da tese defendida na redação. Porém, uma das falhas comuns e que resultam na perda de pontos preciosos é confudir o tema e o recorte temático.

"Essa confusão provoca o tangenciamento da discussão e atrapalha na formulação dos argumentos, uma vez que não se apresenta justificativas acerca de uma problemática, apenas explica-se sobre um assunto, na grande maioria das vezes, tornando o parágrafo expositivo", reforça a coordenadora da área de Linguagens do Colégio Oficina do Estudante.

Para evitar esse erro comum, Fabiana destaca que é fundamental que o estudante faça uma leitura atenciosa à proposta de redação e atente-se ao recorte solicitado antes de planejar a sua argumentação.

Guia completo: Redação do Enem

Gostou das dicas de argumentação? Então, veja tudo o que você precisa saber sobre a redação do Enem! Neste guia, você aprende como deve ser o formato da redação, quais são os critérios de avaliação e vê exemplos de redações de sucesso e dicas de quem tirou nota 1.000 e é especialista no assunto. 

Baixar Guia sobre Redação

Manual do Enem

Se você precisa de ajuda nos estudos, o Manual do Enem é uma ótima alternativa. Essa  plataforma de estudos oferece gratuitamente todos os conteúdos que podem ser cobrados no Enem. Acompanhados por vídeos, imagens, os textos também possuem exercícios para testar os seus conhecimentos. 

Saiba mais: Como se escreve? Veja as dúvidas de português mais comuns

Consultoria: Fabiana Gomes de Camargo, professora de redação e coordenadora da área de linguagens do Colégio Oficina do Estudante

banner image banner image

Se por algum motivo você não utilizar a nossa bolsa de estudos, devolveremos o valor pago ao Quero Bolsa.

Você pode trocar por outro curso ou pedir reembolso em até 30 dias após pagar a pré-matrícula. Se você garantiu sua bolsa antes das matrículas começarem, o prazo é de 30 dias após o início das matrículas na faculdade.

Fique tranquilo: no Quero Bolsa, nós colocamos sua satisfação em primeiro lugar e vamos honrar nosso compromisso.

O Quero Bolsa foi eleito pela Revista Época como a melhor empresa brasileira para o consumidor na categoria Educação - Escolas e Cursos.

O reconhecimento do nosso trabalho através do prêmio Época ReclameAQUI é um reflexo do compromisso que temos em ajudar cada vez mais alunos a ingressar na faculdade.

Feito com pela Quero Educação

Quero Educação © 2011 - 2022 CNPJ: 10.542.212/0001-54