Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Geografia

Migração no Brasil

Angelo Carvalho
Publicado por Angelo Carvalho
Última atualização: 28/11/2018

Introdução

Migração é o processo de deslocamento de pessoas de um país para outro ou do local onde residem para outro dentro do mesmo país. Os motivos que levam o acontecimento desse fenômeno são de diversas naturezas como: religiosa, psicológica, social, econômica, política e ambiental, por exemplo.

No Brasil, o principal fator que impulsionou as migrações foi o econômico. Em diversos momentos da história do país, determinadas atividades econômicas expandiram, atraindo um grande fluxo de pessoas à procura de emprego ou da melhoria de seu nível de vida.

Até o século XX

Na época em que o Brasil tinha o território dividido em arquipélagos econômicos e era uma nação agroexportadora, os fluxos populacionais eram limitados. Esse cenário se dava devido:

  • Dificuldades de locomoção no território brasileiro;
  • Ausência de uma economia propriamente nacional;
  • Baixa diferença entre nível de desenvolvimento econômico entre as diversas regiões do país.Durante o século XVI, a maior concentração de pessoas no Brasil encontrava-se no Nordeste. Nesse período, essa região era a mais desenvolvida, devido à plantação de cana-de-açúcar, principal atividade econômica na época.

Com a ascensão da mineração (em especial na região de Minas Gerais) no século XVIII, houve um grande fluxo migratório do Nordeste e das regiões de São Paulo Rio de Janeiro com destino às terras mineiras. Uma vez que os recursos são finitos, com o tempo, a mineração foi se tornando uma atividade cada vez menos atrativa, diminuindo o fluxo migratório para essa região. 

No início do século XIX, a cafeicultura começa a se destacar, estimulando movimentos migratórios em direção ao Rio de Janeiro e São Paulo

Outro fluxo migratório ocorreu no século XIX, durante o ciclo da borracha. Milhares de nordestinos migraram em direção à Amazônia, devido à grande seca da região e à expansão da produção de borracha natural.

A partir do século XX

A partir de meados do século XX, os fluxos migratórios inter-regionais intensificaram-se no Brasil. Os processos de industrialização e urbanização transformaram o modelo econômico do país, afastando-se do modelo agroexportador.

Década de 50 e 60

A partir dos anos 1950, o Brasil vivenciou um intenso fluxo migratório da região Nordeste para o Sudeste, uma vez que a segunda vivia o período da industrialização e como consequência atraía muita mão de obra.

êxodo rural também se intensificou nesse período, quando grande parte população que morava no campo se mudou para as cidades em busca de melhores condições de vida. Dessa forma, houve grande concentração da população brasileira nos grandes centros urbanos.

Fluxo de migrações durante o período de 1950-1960.Fluxo de migrações durante o período de 1950-1960.

Década de 70

Na década de 70, houve um grande fluxo de deslocamento do Sul do país para a Amazônia e para o Centro-Oeste. Isso de seu devido à política adotada pelo governo militar, que financiou grandes propriedades rurais, estimulando o uso intensivo de máquinas e produtos químicos, para atender às demandas do mercado nacional e das exportações

Esse estímulo dado à grandes empresas e proprietários - vindos principalmente do Sul e Sudeste -, fez com que fossem implantados latifúndios, geralmente para criação de gado, na região amazônica.

Pressionados pela expansão das monoculturas e mecanização nas grandes propriedades rurais, os trabalhadores já não eram tão requisitados. Por isso, muitas famílias abandonaram o campo em busca de oportunidades na cidade.

Fluxo migratório na década de 1970.Fluxo migratório na década de 1970.

Atualmente

Hoje em dia, a principal característica observadas nos movimentos migratórios internos é a desconcentração populacional. Nos últimos anos foi possível observar uma queda no crescimento das populações das grandes metrópoles, ao mesmo tempo que cidades médias e pequenas estão em fase de crescimento populacional.

Devido à modernização das infraestruturas brasileiras - principalmente nas áreas de transporte, comunicação e fontes de energia -, é possível diminuir a necessidade de concentração, tanto das populações, como das atividades econômicas.

Dessa forma, não é necessário que as fábricas se localizem ao lado de seus centros consumidores, basta que existam condições de o produto chegar até seu consumidor por meio das vias de transporte.


Exercícios

Exercício 1
(UFPE/adaptada)

Mudanças significativas ocorridas na economia do Brasil recentemente modificaram, de forma significativa, os fluxos migratórios internos no país. Sobre esse tema, considere as afirmações a seguir:

I - A Região Centro-Oeste, que se encontra em franca expansão econômica, em face do agronegócio, está sendo a que mais atrai imigrantes de outras regiões do país.

II - Em decorrência da transformação da economia de outras regiões brasileiras, constata-se que uma onda de migração de retorno vem acontecendo para a Região Sudeste, sobretudo a partir da década de 1990, reordenando o processo de urbanização. 

III - Por conta da considerável melhoria dos padrões sociais e em face da política de transferência de renda para as áreas interioranas do Nordeste, particularmente o Agreste e partes do Sertão, os fluxos migratórios se dirigem, mais intensamente, para essas regiões. 

IV - Os movimentos migratórios internos são uma expressão de cenários nos quais as histórias familiares se misturam aos fenômenos econômicos e sociais de uma cidade ou de uma região. 

V - Os empregos que estão atraindo mais trabalhadores para a Região Norte concentram-se na produção de minerais metálicos, principalmente alumínio e ferro, e no extrativismo mineral. 

As afirmações corretas são:

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...