Sobre
Sobre
Como funciona
Como funciona o Quero Bolsa?
Ligue grátis
0800
0800 941 3000
Seg - Sex 8h-22h
Sábado 9h-13h
Aceitamos ligação de celular
Vestibular e Enem

Ditadura: veja o que é, as características e como o tema é cobrado no Enem

por Thales Valeriani em 02/08/21

Ditadura é uma palavra usada para descrever regimes políticos que são autoritários e antidemocráticos. De tempos em tempos, o termo ocupa o debate público, além de ser um tema frequente nos vestibulares de diversas universidades públicas, privadas e no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Não por acaso, afinal, o Brasil passou por duas ditaduras no século XX: a do Estado Novo (1937-1945) e a Ditadura Militar (1964-1985). Por ser um assunto multidisciplinar, que abrange política, história, economia, sociologia, entre outras matérias, compreender o que é uma ditadura, como ela funciona, quais são as características e os mitos sobre esse tipo de regime político, é importante para quem pretende ter uma boa nota nos processos seletivos


Leia mais:
+ Atualidades Enem: liberdade de expressão
+ 7 revoltas da história do Brasil que podem cair no Enem

O que é e como funciona uma ditadura?

Essa pergunta, apesar de simples, exige uma resposta mais elaborada. Por isso, conversamos com o professores de História do Colégio e Curso AZ (Rio de Janeiro), João Jacomelli, sobre o que caracteriza um regime ditatorial, quais são as semelhanças e as diferenças entre ditadura e totalitarismo, além de verificarmos alguns mitos sobre o assunto. De acordo com o professor, o conceito sobre ditadura se altera de acordo com o contexto histórico. 

"E [o termo] ditadura que a gente usa na contemporaneidade se refere a um regime autoritário, um regime que assume o poder de forma arbitraria, muitas vezes com golpes militares, e que usa muito instrumento de propaganda para conseguir apoio popular, que faz uso da censura, que se utiliza de instrumentos violentos para conduzir a política e reger a sociedade. Essas são as principais características que ajudam  gente entender o conceito de uma ditadura", explica João. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

Toda ditadura é militar?

Nem sempre. Embora existam vários exemplos na história recente de ditaduras militares, alguns regimes ditatoriais não são considerados militares, é o caso do Estado Novo, no Brasil. 

Sobre essa questão, João Jacomelli afirma que na história recente da América Latina existem vários exemplos de regimes ditatoriais militares, mas nem por isso devemos pensar que essa situação sempre se repete.

"É interessante falar sobre esse tema, pois tem muita gente que pensa que ditadura necessariamente é militar, o que também não é verdade. A gente tem caso de ditaduras militares, no Brasil aconteceu, no resto da América Latina também, na Argentina, no Chile,  mas a gente tem também ditaduras não militares. No Brasil, também temos o caso do Vargas no Estado Novo. Então, é interessante fazer essa diferenciação: nem todo militar que assume o poder é ditador, nem toda ditadura é militar, apesar de termos vários exemplos de ditaduras militares", afirma.

Leia mais:
+ Atualidade Enem: direito ao voto
+ Veja quais são os 54 governos autoritários da atualidade

Ditadura e totalitarismo são iguais?

Não. Apesar de serem conceitos um tanto próximos, eles são diferentes. Isso porque o termo "ditadura" é usado para descrever um regime politico autoritário e antidemocrático, enquanto "totalitarismo" é utilizado para se referir a alguns regimes específicos.

Confira a explicação do professor João Jacomelli. "O totalitarismo é um conceito que geralmente aparece junto com ditadura, mas é legal a gente diferenciar. Totalitarismo é um termo que a gente usa para se referir a regimes muito específicos, para se referir aquele contexto das décadas de 20 e de 30 do século passado, mais especificamente para falar do Nazismo e do Fascismo, que tiveram, entre as suas características, a instauração de ditaduras. Mas não dá para usar como sinônimos, totalitarismo e ditadura não são essencialmente a mesma coisa, são diferentes, apesar de serem conceitos próximos".

Ditaduras modernas: conheça algumas características

Uma das características de uma ditadura é a negação do próprio regime enquanto tal. Pareceu confuso? Calma que a gente explica! Em geral, um regime ditatorial nega o caráter autoritário e arbitrário que possui afirmando-se "popular", "democrático", "revolucionário", entre outros eufemismos.

Desse modo, o poder político vigente espera se legitimar a partir de uma aparência democrática, visto que outros poderes da República, como o Legislativo e o Judiciário, continuam existindo normalmente.

"Alguns autores começaram a falar, mais recentemente, é que as ditaduras tentam se utilizar do aparato jurídico e institucional para atenuar seus atos. Muitas vezes, a ditadura aparelha órgãos que devem ser neutros, aparelha a imprensa, para tentar passar um verniz de normalidade  e democracia, tendo mais legitimidade, fugindo do carimbo de ser uma "ditadura". Essa é também uma das características de uma ditadura: tentar fugir dessa pecha a partir de instituições existentes", observa o professor de História, João Jacomelli.

+ Testes: verifique os seus conhecimentos sobre a ditadura milita brasileira

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

Mitos sobre ditaduras

Por existirem diversos regimes ditatoriais, alguns mitos surgiram. Geralmente, eles confundem conceitos e ignoram contextos ou mesmo acontecimentos históricos. A pedido da reportagem, o professor João Jacomelli analisou 3 mitos sobre ditaduras. Confira:

Em uma ditadura as pessoas não votam

"A questão é justamente essa: em um primeiro ponto, em tese, em um ditadura, as pessoas não votam, mas, em alguns casos, as ditaduras mantiveram eleições. Eleições completamente diferente das atuais, em que elas eram controladas, que você tinha uma séries de regras e instrumentos de coerção, mas mantiveram essas eleições para vender a ideia de que não estávamos em uma ditadura. E o exemplo mais concreto é a ditadura brasileira", afirma João. 

+ Ditadura Militar no Brasil: tudo o que você precisa saber sobre o tema para o Enem

Se eu sofrer qualquer represália por expressar a minha opinião,  como um processo judicial, então estarei em uma ditadura

"É interessante a gente pontuar também que, muitas vezes, o direito à liberdade de expressão é reivindicado por pessoas que fazem falas muito controversas, para dizer o mínimo. São falas que ferem direitos fundamentais, princípios éticos que regulam a vida em sociedade. E essas pessoas reivindicam a liberdade de expressão como se ela significasse o direito de falar o que eu quero e quando quero. Na verdade, a liberdade de expressão é o direito de você falar o que quer, mas dentro dos princípios que regem a vida em sociedade. Então, se alguma pessoa emite um posicionamento que abata de frente, que fira esse principio, esses elementos, essa pessoa vai sofrer algum tipo de contestação e, se essa fala cometer algum tipo de crime, essa pessoa vai também sofrer alguma ação judicial. E esse tipo de ação não é uma atitude ditatorial", pontua o professor. 

Em uma ditadura, a sociedade costuma ser mais pacífica e organizada

"Não. Quando você fala sobre uma ditadura, você tem um regime que governa a partir da lógica do medo, da lógica da repressão, da lógica da violência. Muitas vezes, passa-se a noção de [que há] uma suposta segurança, uma suposta organização, mas as contradições que a sociedade apresenta, de todas as formas, continuam existindo e são latentes nos regimes autoritários. Só que como eles operam na lógica da repressão e do medo, eles sufocam essas lutas, bandeiras e discussões, passando a impressão de uma aparente segurança e tranquilidade", explica João.

Veja quais regimes ditatoriais são cobrados no Enem e vestibulares

O tema da Ditadura Militar no Brasil não foi cobrado nas últimas edições do Enem, no entanto, ele é frequente nos vestibulares tanto de universidades públicas com processos seletivos próprios, como a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Estadual Paulista (Unesp), quanto de particulares. Em relação aos regimes mais cobrados nos processos seletivos, o professor de História, João Jacomelli, afirma que são os do século XX. 

+ 15 filmes para estudar sobre a Ditadura Militar no Brasil e se preparar para o Enem

"Como a gente está falando da realidade brasileira, as ditaduras priorizadas são a Ditadura Militar e a ditadura do Estado Novo, mas não podemos deixar de lado  as ditaduras da América Latina, sobretudo as do século passado dos anos 60 e anos 70, do Chile e da Argentina. E as ditaduras da Europa, no contexto entre guerras. Entender a lógica de funcionamento do regime nazista, do regime fascista", observa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O que você achou deste artigo?

ALERTA DE VAGAS i-close
Tá na dúvida? Preencha suas preferências que a gente te ajuda a achar sua vaga ideal.
ALERTA DE VAGAS i-close
Descubra qual profissão mais se encaixa com você.

Não fique na dúvida sobre o seu futuro. Faça o Teste Vocacional do Quero Bolsa.

ALERTA DE VAGAS i-close
Nós podemos te ajudar Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

Aqui no Quero Bolsa você compare vagas com bolsa em mais de 1.000 faculdades

Preencha os campos abaixo para receber avisos de vagas disponíveis em nosso site de acordo com seus interesses.

ALERTA DE VAGAS i-close
Deixe seus contatos Mailbox 3aaacb172f1a1e1ba19b2e93f60f637592c84194967e63e952c08d3cb04fa7a8
ALERTA DE VAGAS i-close
Falta só mais um passo! Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

As nossas melhores vagas chegam de surpresa. Por isso fique ligado.

Com a sua confirmação enviaremos ofertas exclusivas diretamente no seu Whatsapp. Rápido, fácil, prático e na tela do seu celular.

CENTRAL DE AJUDA i-close
Como podemos te ajudar?

Gostaria de saber como o Quero Bolsa funciona e se o site é confiável.

Veja as perguntas frequentes

Quero receber vagas de acordo com meus interesses diretamente em meu e-mail e WhatsApp.

Tá na dúvida? Preencha suas preferências que a gente te ajuda a achar sua vaga ideal.
i-close

Se por algum motivo você não utilizar a nossa bolsa de estudos, devolveremos o valor pago ao Quero Bolsa.

Você pode trocar por outro curso ou pedir reembolso em até 30 dias após pagar a pré-matrícula. Se você garantiu sua bolsa antes das matrículas começarem, o prazo é de 30 dias após o início das matrículas na faculdade.

Fique tranquilo: no Quero Bolsa, nós colocamos sua satisfação em primeiro lugar e vamos honrar nosso compromisso.

O Quero Bolsa foi eleito pela Revista Época como a melhor empresa brasileira para o consumidor na categoria Educação - Escolas e Cursos.

O reconhecimento do nosso trabalho através do prêmio Época ReclameAQUI é um reflexo do compromisso que temos em ajudar cada vez mais alunos a ingressar na faculdade.

Feito com pela Quero Educação

Quero Educação © 2011 - 2021 CNPJ: 10.542.212/0001-54