Sobre
Sobre
Como funciona
Como funciona o Quero Bolsa?
Ligue grátis
0800
0800 941 3000
Seg - Sex 8h-22h
Sábado 9h-13h
Aceitamos ligação de celular
Ensino Básico

Metodologias ativas: veja 6 exemplos e confira os seus benefícios

por Thales Valeriani em 20/01/21


Estudantes realizando um projeto de física durante a sala de aula. O aprendizado baseado em projetos é um dos diversos tipos de metodologias ativas utilizados pelas escolas.


No ensino tradicional, o aluno costuma ficar sentado na sala de aula enquanto ouve o professor. Já em uma escola com metodologias ativas, o estudante participa ativamente do processo de aprendizado, isto é, ele pratica alguma atividade para aprender o conteúdo, em vez de apenas escutar. 

Neste caso, as aulas não são apenas expositivas, nem o professor é o sujeito principal da sala de aula. No contexto de uma metodologia ativa, o aluno exerce papel central no processo de aprendizado, pois a partir de sua própria postura e ações é que o conhecimento será ou não efetivado.

+ José Pacheco e Pedro Demo: por uma escola focada no aluno

Como funcionam as metodologias ativas

As metodologias ativas podem ser colocadas em prática a partir de diferentes estratégias, como resolução de problemas, construção de projetos ou mesmo a chamada “sala de aula invertida”, quando o aluno ensina determinado conteúdo para o restante da turma.

Isso porque esse modelo de ensino e aprendizado baseia-se na Pirâmide de Aprendizado, desenvolvida pelo psiquiatra norte americano William Glasser (1925-2013). Segundo a proposição de Glasser, o aprendizado do estudante melhora conforme ele apresenta uma postura mais ativa no processo de aquisição de conhecimento.

A partir de tal concepção, o pesquisador desenvolveu uma pirâmide gráfica indicando o grau de retenção de conhecimento de diferentes estratégias de aprendizado. 

Conheça a Pirâmide de Aprendizado, de William Glasser

De acordo com a pirâmide, um método de aprendizado mais ativo é também mais eficaz. Isso porque o estudante acaba sendo responsável pela construção do conhecimento, conseguindo elaborar os conteúdos a partir da própria realidade, estabelecendo, então, relação entre eles.

Para Glasser, estas são as taxas de aprendizado dos seguintes métodos de estudo:

  • Leitura: 10%

  • Escuta: 20%

  • Observação: 30%

  • Escuta mais observação: 50%

  • Debate, conversa ou discussão: 70%

  • Ensinar para alguém: 95%


As taxas de sucesso indicadas por Glasser influenciaram a formação de novas metodologias de ensino, as chamadas metodologias ativas. Por isso, esses novos métodos não utilizam a aula expositiva como principal modo de adquirir conhecimento e propõem novas dinâmicas para sala de aula.

Confira abaixo 6 exemplos de metodologias ativas

  1. Situações problema
    O aprendizado baseado em problemas prevê que o estudante aprenda por meio da resolução colaborativa de desafios. Neste caso, há um incentivo à capacidade do aluno de analisar, estruturar e criar diante de uma situação desafiadora.

    Neste contexto, o professor exerce um papel de mediador, que provoca e instiga o aluno a resolver o problema por conta própria. Ao final, o docente deve levar os estudantes à reflexão, para que eles entendam, de modo crítico e reflexivo, quais alternativas também eram possíveis para a resolução do desafio.

  2. Desenvolvimento de projetos
    Em resumo,  a metodologia ativa por meio de projetos demanda que o aluno elabore um projeto e o faça por conta própria. Um exemplo é a cultura do “faça você mesmo”, na qual o aluno aprende enquanto faz. Nessa situação, o aluno desenvolve a capacidade de analisar e resolver problemas por meio de etapas e ações coordenadas. Além disso, os projetos devem ser desenvolvidos em grupos, de modo colaborativo, para que o estudante desenvolva também a capacidade de trabalhar em conjunto.

  3. Sala de aula invertida
    A sala de aula invertida é uma das estratégias para trabalhar uma metodologia ativa com os estudantes. Neste caso, há uma substituição da aula expositiva dada pelo professor por uma mais dinâmica, em que o conteúdo é ensinado pelo próprio aluno. 

    Para que isso seja possível, o estudante deve ter acesso antecipado ao conteúdo e interagir com os demais colegas para realizar projetos e resolver problemas. O intuito é fazer com que o aluno tenha uma postura mais ativa, além de aumentar o interesse dele pelo tema abordado.

    Deve haver um incentivo para que recursos variados, como imagens, vídeos ou textos complementares, sejam utilizados ao longo da aula invertida. Afinal, o intuito é que ela seja dinâmica e envolvente não apenas para o aluno expositor, mas também para os demais estudantes da turma.

  4. Ensino Híbrido
    O ensino híbrido é uma mescla entre dois modelos de ensino já existentes, o presencial e o online. Por isso, a modalidade híbrida de ensino apresenta características desses dois formatos. O aluno deve seguir um cronograma de estudo estabelecido pelo professor, como acontece na aula presencial, só que a gestão do tempo, o ritmo de estudo e o local, são definidos pelo próprio estudante. 

    Nesse exemplo, a aula, em si, nem sempre é dinâmica, mas ela é considerada uma metodologia ativa por exigir do aluno uma postura proativa no processo de aquisição do conhecimento.

  5. Gamificação
    A gamificação é a utilização de jogos em situações de ensino e aprendizado. Neste caso, valem jogos de tabuleiro, atividades físicas feitas na quadra escolar ou fora dela, por exemplo. Em geral, essa é uma estratégia de ensino que gera bastante engajamento entre os alunos, que se sentem desafiados e estimulados a chegar até o final. Para que ela seja possível, o professor deve “gamificar” alguns conteúdos da matéria com o intuito de envolver os estudantes na resolução de problemas ou de perguntas.

  6. Estudos de caso
    Neste exemplo, o professor apresenta uma situação real para os alunos e pede a eles que resolvam o caso. Em geral, essa é uma estratégia utilizada quando há a necessidade do estudante adquirir um conhecimento prático, além de teórico. 

Escolas com bolsas de estudo

Benefícios das metodologias ativas

Há vários benefícios em se trabalhar metodologias ativas na sala de aula, por exemplo: aumento do interesse dos alunos pelo conteúdo, aquisição de conhecimento feita de modo mais lúdico e eficiente, melhora na capacidade de resolver problemas por meio de projetos colaborativos.

É importante destacar que diferentes metodologias de ensino possuem objetivos também diferentes. No caso das metodologias ativas, o intuito é formar um aluno mais crítico e proativo, por isso, é exigido e trabalhado ao longo de sua vida escolar a capacidade de envolver-se em projetos, de tomar decisões e de avaliar os resultados obtidos.



O que você achou deste artigo?

Se por algum motivo você não utilizar a nossa bolsa de estudos, devolveremos o valor pago ao Quero Bolsa.

Você pode trocar por outro curso ou pedir reembolso em até 30 dias após pagar a pré-matrícula. Se você garantiu sua bolsa antes das matrículas começarem, o prazo é de 30 dias após o início das matrículas na faculdade.

Fique tranquilo: no Quero Bolsa, nós colocamos sua satisfação em primeiro lugar e vamos honrar nosso compromisso.

O Quero Bolsa foi eleito pela Revista Época como a melhor empresa brasileira para o consumidor na categoria Educação - Escolas e Cursos.

O reconhecimento do nosso trabalho através do prêmio Época ReclameAQUI é um reflexo do compromisso que temos em ajudar cada vez mais alunos a ingressar na faculdade.

Feito com pela Quero Educação

Quero Educação © 2011 - 2021 CNPJ: 10.542.212/0001-54