Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Português

Função Sintática

Alice Martins
Publicado por Alice Martins
Última atualização: 27/9/2018

Introdução

A função sintática de uma palavra é o papel que ela desempenha dentro de uma oração na relação com outros termos. Vejamos um exemplo:

Pedi o carro ao meu pai ontem.

Se analisarmos as relações entre os termos na oração, perceberemos que eles exercem as seguintes funções sintáticas:

  • eu”: sujeito da oração;
  • pedi o carro ao meu pai ontem”: predicado da oração;
  • o carro”: objeto direto;
  • ao meu pai”: objeto indireto;
  • ontem”: adjunto adverbial.

Lembre-se: a função sintática não tem a ver com a classe morfológica das palavras.

Enquanto morfologicamente uma palavra é um adjetivo, sintaticamente ela pode ser objeto, sujeito, predicativo do sujeito, etc.

📝 Você quer garantir sua nota mil na Redação do Enem? Baixe gratuitamente o Guia Completo sobre a Redação do Enem! 📝

Partes constitutivas de um texto

Para estudarmos função sintática, é interessante conhecermos o que são frases, orações e períodos, ou seja, as partes constitutivas de um texto.

Frase

É enunciado ou o conjunto de palavras com sentido completo, podendo conter ou não um verbo. Quando não contém verbo é chamada de frase nominal e quando contém, frase verbal. Exemplos:

Fogo! (frase nominal)

Não vou à escola hoje. (frase verbal)

Oração

Conjunto de palavras que se estruturam ao redor de um verbo. Para ser uma oração, deve ter, necessariamente, um verbo.

Exemplo: Adoro ir ao parque aos domingos.

Período

Frase constituída de uma ou mais orações e que tem sentido completo. O período é chamado simples quando formado por apenas uma oração e composto quando formado por mais de uma oração. Exemplos:

Minha amiga viaja hoje. (1 verbo = 1 oração; período simples)

Minha amiga voltou de viagem e me trouxe um vinho de presente. (2 verbos = 2 orações; período composto)

📚 Você vai prestar o Enem 2020? Estude de graça com o Plano de Estudo Enem De Boa 📚

Termos da oração

Os termos de uma oração podem ser divididos em três tipos: essenciais, integrantes e acessórios.

Termos essenciais

Os termos essenciais de uma oração são dois: sujeito e predicado. Toda oração tem um sujeito e um predicado, por isso esses termos são chamados essenciais.

Sujeito

Toda sentença ou expressão que se refira diretamente ao verbo, sem ser necessariamente uma pessoa. Também podemos dizer que sujeito é quem faz a ação expressa pelo verbo. Por exemplo:

O sofá tem cor de abóbora.

Nesse exemplo, “o sofá” é o sujeito da oração, porque é quem faz a ação expressa no verbo, ou seja, é a expressão que executa a ação de ter cor de abóbora.

Predicado

O predicado, por sua vez, é tudo que se refere ao sujeito ou, em outras palavras, tudo aquilo que se diz do sujeito. Ou seja, tudo aquilo que na oração não é sujeito, é predicado (incluindo o verbo). Por exemplo:

O museu de cera está em reforma.

“O museu de cera” é o sujeito da oração e “está em reforma” é o predicado, porque é tudo o que se diz sobre o sujeito.

Termos integrantes

Os termos integrantes integram, isto é, completam o sentido da oração. São estes: complemento verbal (objeto direto e objeto indireto), predicativo do sujeito, predicativo do objeto, complemento nominal e agente da passiva.

Objeto direto

Termo que completa o sentido de um verbo transitivo direto ou de um verbo transitivo direto e indireto (por isso é chamado de complemento verbal), sem precisar de preposição.

Exemplo: Comprei um sorvete.

“Comprar”: verbo transitivo direto; “um sorvete”: objeto direto.

Objeto indireto

Termo que completa o sentido de um verbo transitivo indireto ou transitivo direto e indireto, necessariamente por meio de uma preposição. Também é chamado de complemento verbal. Exemplo:

Emprestei a ele meu melhor livro. 

  • Emprestar”: verbo transitivo direto e indireto (quem empresta, empresta algo a alguém, por isso o verbo exige um objeto direto e um indireto);
  • a ele”: objeto indireto;
  • a”: preposição

Predicativo do sujeito

É uma característica ou uma qualidade do sujeito, que aparece nos predicados nominais, isto é, quando a palavra mais importante do predicado for um substantivo ou qualquer outra palavra que não seja um verbo.

Exemplo: Minha irmã é carinhosa.

  • Minha irmã”: sujeito;
  • “é carinhosa”: predicado (nesse caso, predicado nominal porque a parte que dá sentido a ele não é o verbo, mas o adjetivo “carinhosa”)
  • carinhosa”: predicativo do sujeito.

Predicativo do objeto

Uma característica ou qualidade do objeto dentro de um predicado verbo-nominal.

Exemplo: O filho desobediente deixou a mãe nervosa.

  • O filho desobediente”: sujeito;
  • deixou a mãe nervosa”: predicado (classificado como predicado verbo-nominal porque tem um verbo de ação como a parte que dá sentido ao predicado + um predicativo do sujeito ou do objeto);
  • a mãe”: objeto direto (completa o sentido / sofre a ação do verbo “deixar”);
  • nervosa”: predicativo do objeto (uma característica do objeto).

Complemento nominal

Termo que completa o sentido de substantivos, adjetivos e advérbios por meio de uma preposição.

Exemplo: Tenho orgulho do meu irmão.

  • do meu irmão” complementa o sentido do substantivo “orgulho”;
  • do” é a preposição “de” + o artigo “o’”.

Agente da passiva

Quando a oração estiver na voz passiva analítica, isto é, for formada por um verbo auxiliar (ser ou estar) e um verbo principal (transitivo direto ou transitivo direto e indireto), o termo que pratica a ação expressa pelo verbo principal é o agente da passiva. Veja o exemplo:

Maria foi desafiada por Paulo.

O verbo principal é “desafiar” e quem pratica a ação expressa por esse verbo é “Paulo”. “Paulo” é, portanto, o agente da passiva.

Termos acessórios

Os termos acessórios, como o nome sugere, são dispensáveis em uma oração, isto é, pode haver orações em que eles não aparecem.

Todavia, quando aparecem, são importantes para a compreensão do enunciado, pois atribuem características ao termo ao qual se relaciona. São estes os termos acessórios: adjunto adverbial, adjunto adnominal e aposto.

Adjunto adverbial

Termo da oração que indica uma circunstância, que pode ser de lugar, finalidade, tempo, intensidade, causa ou modo. O adjunto adverbial pode mudar o sentido de um verbo, de um adjetivo, de um advérbio ou da oração inteira. Exemplos:

Faz frio em Curitiba. (lugar)

Trabalhou incansavelmente durante o final de semana. (modo)

Ficou muito cansado depois disso. (intensidade)

Adjunto adnominal

Termo associado a um substantivo que o caracteriza ou complementa seu sentido, por exemplo: O garoto obediente guardou todos os brinquedos. 

  • obediente” é o termo que caracteriza o substantivo “garoto”.

Aposto

É o termo capaz de ampliar, explicar ou resumir o significado de outro termo ao qual aparece associado. O aposto geralmente aparece entre vírgulas ou antecedido por dois pontos na oração. Exemplo:

Minha melhor amiga, formada em estudos literários, adora discutir sobre literatura.

  • formada em estudos literários” é um aposto que explica o sujeito “minha melhor amiga”.

Vocativo

Termo que expressa chamamento ou convocação, geralmente usado para invocar a atenção do interlocutor, por exemplo: Ana, venha aqui por favor!


Exercícios

Exercício 1
(PUC-SP)

Dê a função sintática do termo destacado em: “Depressa esqueci o Quincas Borba”.

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...