Envie mensagem ou ligue
Informações

Taquígrafo

Reproduzir e registrar a fala de um orador com fidelidade e de forma mais rápida que a escrita normal é a função do taquígrafo

O que faz um taquígrafo

O taquígrafo é o profissional capaz de escrever, por meio de sinais convencionais, a uma velocidade bem mais elevada que a escrita comum, reproduzindo, em texto escrito e com fidelidade, as palavras de um orador. O taquígrafo costuma utilizar símbolos previamente definidos que representam certos fonemas da língua, para ajudar na velocidade da transcrição. Há diversos métodos para exercer a taquigrafia, sendo o mais usado no Legislativo e Judiciário brasileiros o sistema inventado pelo espanhol Francisco de Paula Martí Mora. Porém, o método de taquigrafia mais comum é o de Oscar Leite Alves, criado especialmente para a língua portuguesa. A profissão existe desde a Antiguidade Clássica e era re­conhecida por sua utilidade prática e cultural de registrar, sobretudo, as manifestações orais, políticas e judiciais. Até hoje, a profissão tem sua força nessas áreas, onde o taquígrafo registra e reproduz fielmente as falas de um político em assembleia ou então de um juíz e pessoas envolvidas em um julgamento, por exemplo.

Sobre o mercado de trabalho

R$ 1567,43
salário médio de um taquígrafo
R$ 4525,00
estado com maior salário - Paraná
21
contratações no último ano (2018)
14
demissões no último ano
7
saldo de vagas criadas

Como se tornar um taquígrafo

A escolaridade mínima para alguém se tornar um taquígrafo é o Ensino Médio completo. Entretanto, em concursos público, forma principal de contratação do taquígrafo, costuma-se exigir curso superior completo em qualquer área. Para se desenvolver profissionalmente, torna-se necessário que o profissional conclua um curso profissionalizante de Taquigrafia.

Áreas de atuação

O taquígrafo pode atuar tanto no setor público quanto no privado. No setor público, o taquígrafo trabalhará no Legislativo ou Judiciário, nas esferas federal, estadual e municipal. O taquígrafo também pode trabalhar com perícias técnicas em inquéritos policiais e investigações. Já no setor privado, existe um extenso mercado de atuação para o taquígrafo, especialmente em reuniões, palestras, entrevistas, simpósios, congressos, aulas, seminários e qualquer tipo de evento, que precise ter registro escrito de tudo que ocorre oralmente. Há, ainda, outras áreas de atuação para o taquígrafo, como pesquisas de mercado, reuniões de conselhos deliberativos, conselhos fiscais, anotações para escritores, assembleias de conselhos, sindicatos, federações, condomínios etc., transcrição de programas televisivos ou de rádio, transcrição de mídias, entre outras.